quinta-feira, novembro 29, 2007

Dia Internacional de Segurança em Informática - 30 de Novembro

A Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), através de seu Centro de
Atendimento a Incidentes de Segurança (CAIS), está organizando pelo
terceiro ano consecutivo um evento em comemoração ao dia 30 de Novembro -
o Dia Internacional de Segurança em Informática - DISI 2007 -
http://www.rnp.br/eventos/disi/2007/, em conjunto com as comemorações do
aniversário de 10 anos das atividades do CAIS.

O evento, direcionado a usuários finais de computadores, visa divulgar
informações sobre segurança e boas práticas no uso de sistemas, com uma
linguagem acessível a este público e de forma gratuita, através de palestras
abertas ao público e também transmitidas pela Internet, com a seguinte
programação:

. 08:30h - 08:40h - Abertura do evento

. 08:40h - 09:20h - Celebrando 10 anos do CAIS
Liliana V. Solha - CAIS/RNP

. 09:20h - 10:00h - Aspectos básicos da segurança para o dia-a-dia
Guilherme Vênere - CAIS/RNP

. 10:00h - 10:20h - Coffee-Break

. 10:20h - 11:00h - Dinheiro e internet: É seguro?
Fernando Eduardo C. Barreira - Banco do Brasil

. 11:00h - 11:40h - Navegar com Segurança & Proteger seus
filhos: combatendo a Pedofilia e a Pornografia
Infantil na Internet.
Roseane Miranda e Anderson Miranda - www.censura.com.br

. 11:40h - 12:20h - Quiz DISI 2006: Revendo conceitos
Atanaí S. Ticianelli - CAIS/RNP

. 12:20h - 12:30h - Encerramento do evento


Assim, gostaríamos de convidá-los a participar presencialmente do DISI
2007 - Dia Internacional de Segurança em Informática, a ser realizado no
dia 30 de novembro, no Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas - CBPF Rua
Lauro Müller, 455 Térreo, Botafogo, Rio de Janeiro.

segunda-feira, novembro 19, 2007

Semana de Tecnologia FAZAG - www.fazag.edu.br

Semana de Tecnologia da Faculdade Zacarias de Góes.

Programação:

19/11: Mini-curso C# .net - Rafael Reale
20/11: Mini-curso C# .net - Rafael Reale
20/11: Mini-curso Banco de Dados com SQL Server - Adonai

21/11:Palestras
18:50 às 20:10 - Célula Microsoft FAZAG e WPF - Alex Kondera
20:30 às 22:00 - Seguramça de Redes - Marco Câmara
22/11: Programação J2ME (a confirmar)

terça-feira, novembro 13, 2007

Richard Stallman na Bahia - Salvador!!

O Richard Stallman fara uma Palestra aberta para toda a comunidade Academica, Cientifica
e movimento SL, na proxima sexta-feira, dia 16/11.

Tema: The Free Software Movement and the GNU/Linux Operating System

Aonde?
ICBA
Instituto Cultural Brasil-Alemanha
Av. Sete de Setembro, 1809
Corredor da Vitoria
40080-002 Salvador-Bahia, Brasil
Tel.: +55 71 33370120

Que Horas?
das 16:30 as 19:00hs

Evento totalmente Gratuito.

Peco que divulguem!

--
Isamar Maia
isamar@imtech.com.br
isamar@maxirede.net
imtech@tim.com.br
Brazil: 55-71-9146-8575
55-71-9965-6119

terça-feira, outubro 16, 2007

Abertas as Inscrições para o Programa S2B - Microsoft Innovation Center Bahia

Rafael Mendes sempre desejou atuar na área de desenvolvimento. Durante seis anos, ele procurou uma oportunidade neste segmento, mas não obteve sucesso. “Queria programar, mas simplesmente não conseguia ir para a área de desenvolvimento”, conta o estudante. Mesmo tendo feito um curso técnico de processamento de dados, Rafael encontrava obstáculos. “Acho que as empresas, de um modo geral, não dão credibilidade a cursos técnicos”, opina.

A trajetória profissional de Rafael mudou quando ele decidiu concorrer a uma vaga no curso ProForm.NET, do Centro de Inovação Tecnológica da Bahia, em Salvador. Ele obteve um emprego em uma fábrica de software porque havia passado para a última fase do curso. “Desde aquele dia eu trabalho com o que mais gosto: desenvolvimento,” comemora. “Então posso dizer que o Centro de Inovação mudou completamente a minha vida,” complementa.

E é com muito prazer e para repetir histórias como estas que o Microsoft Innovation Center Bahia através da Microsoft Brasil abre a partir desta segunda-feira, dia 15, as inscrições para a primeira fase do seu programa de treinamento já conhecido por muitos. Com o novo nome de Student to Business (S2B), o projeto tem o objetivo de oferecer gratuitamente cursos de especialização e capacitação a estudantes dos ensinos médio, técnico e universitário interessados em tecnologia da informação nas linhas de desenvolvimento e infra-estrutura, facilitando o acesso desses jovens ao mercado de trabalho.

Na edição anterior, a Bahia contou com mais de 5.600 inscritos e com o maior número de concorrentes por vaga do país e, dada a grande procura e o sucesso do programa, aumenta de 300 para 900 a quantidade de vagas para os candidatos selecionados para a primeira etapa do programa que ocorrerá dias 29 e 30 de outubro no auditório Zélia Gattai da Faculdade Jorge Amado, parceira do Microsoft Innovation Center Bahia.

Da mesma forma, a Faculdade Ruy Barbosa, a qual também assinou acordo de cooperação com o MIC Bahia estará junto na acolhida das próximas etapas do programa, as quais foram reformuladas de 05 etapas na edição anterior para 03 etapas no S2B com algumas novidades interessantes conforme descrevemos a seguir.

Inscrição: como na edição anterior, o candidato deverá responder um questionário com dados pessoais e profissionais para participar da primeira etapa do programa.

Etapa 1: 900 candidatos serão selecionados das inscrições para um aulão de 4:30h onde farão uma prova classificatória para a etapa 2.

Etapa 2: Para os alunos que passaram pela avaliação da etapa dois, além do treinamento presencial em laboratórios das faculdades supracitadas nas linhas de desenvolvimento de software e administração de redes, será oferecido o acesso ao curso on-line preparatório para Certificação Internacional Microsoft. Aqueles que obtiverem êxito na prova que será realizada ao final deste curso, forem aprovados para a etapa 3 e apresentarem o projeto final, terão o direito de fazer, gratuitamente, a prova para obter a certificação Microsoft. Desta etapa sairão os 60 finalistas para a etapa 3 do programa.

Etapa 3: As turmas de desenvolvimento e infra-estrutura farão um projeto prático real, nesta edição de acordo com o tema da edição 2008 da Imagine Cup, a copa do mundo da computação organizada pela Microsoft: meio-ambiente. Apresentado o projeto, os 60 candidatos finalistas serão disponibilizados ao mercado de trabalho. Na edição anterior, 12 empresas de TI apoiaram a formatura e usufruíram dos candidatos formados pelo programa no MIC Bahia. Esperamos atender nesta edição a demanda de mais empresas do ecossistema local.

Como outra novidade, alunos do S2B poderão obter gratuitamente softwares da Microsoft. Para isso, eles precisam apenas se inscrever na Imagine Cup no momento da inscrição para o S2B. Os seguintes softwares poderão ser baixados da internet para estudo: Visual Studio 2005 Professional Edition, Visual SourceSafe 2005, SQL Server 2005 Developer Edition - 32-bit, SQL Server 2005 Developer Edition - 64-bit Extended, OneNote 2007, Project Professional 2007, Visio Professional 2007, Windows XP Professional SP2 ISO, Windows Vista Business DVD e Windows Server 2003 Standard Edition.

Os interessados em participar do programa Student to Business devem se inscrever pelo site www.centrodeinovacao.org.br até o dia 24/10/2007. Lá também constam maiores informações sobre o programa e suas etapas Inscreva-se e divulgue para os seus colegas!

O Microsoft Innovation Center é fruto de uma parceria entre a UNEB, instituição acolhedora do MIC Bahia, Softex, ASSESPRO, SECTI, FAPESB e Microsoft e conta com o apoio pela segunda vez do SEBRAE na realização do programa de formação profissional.

============================================

Mônica Góes

Coordenadora Comercial

MIC Bahia - Microsoft Innovation Center Bahia

UNEB - Rua Silveira Martins, 2555, Cabula, Salvador - BA

(71) 3117-2216

terça-feira, setembro 11, 2007

Cuba promove Linux para excluir Windows

Cuba capacitou quatro mil pessoas para operar o sistema operacional de código aberto Linux. A iniciativa é parte de batalha do país para por fim à dependência digital com relação ao sistema Windows, da Microsoft, informou na terça-feira (11) a imprensa oficial cubana.

O governo comunista de Cuba decidiu pela adoção do Linux em 2005 e está pregando as vantagens ideológicas do software livre em 600 centros de informática montados pela União de Jovens Comunista em toda a ilha.

"Com a expansão no uso do software livre, Cuba deixaria para trás sua dependência do sistema Windows e as possíveis exigências judiciais de seu proprietário, a gigante norte-americana Microsoft", afirmou o "Juventud Rebelde", diário da União de Jovens Comunistas.

Ainda que a maioria dos computadores em operação no país empregue o sistema operacional da Microsoft, o governo pretende que metade das máquinas nos escritórios e ministérios migre para o Linux nos próximos três anos.

Mais de 3.880 cubanos passaram por cursos de Linux, de acordo com o "Juventud Rebelde". "Diferentemente do programa criado pela empresa de Bill Gates, o Linux oferece, aos usuários que desejem estudá-lo, livre acesso ao seu código-fonte e a possibilidade de modificá-lo e assim reforçar a privacidade das informações", acrescentou o diário.

O Linux é um sistema operacional de fonte aberta, que pode ser acessado e modificado por programadores, desenvolvido pelo finlandês Linus Torvalds. O sistema se transformou em bandeira daqueles que se opõem ao predomínio da Microsoft no mercado.

Aplicação

Cuba dispõe de cerca de 380 mil computadores ou 3,4 máquinas por 100 habitantes. O governo do país acusa os Estados Unidos de prejudicar seu desenvolvimento tecnológico por meio de um embargo comercial que já dura 45 anos e limita a aquisição de equipamentos e o acesso à internet.

De acordo com as autoridades cubanas, o Linux está sendo usado na alfândega do país e em breve começará também a ser utilizado nos centros de educação superior.

Para as autoridades do país, envolvidas em uma guerra ideológica que já dura quase meio século contra os Estados Unidos, a migração para o Linux é assunto sério. "É um problema de soberania tecnológica, um problema de ideologia", disse Héctor Rodríguez, chefe de uma equipe de mil pessoas que desenvolve programas Linux na Universidade de Havana.

Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Tecnologia/0,,MUL102824-6174,00-CUBA+PROMOVE+LINUX+PARA+EXCLUIR+WINDOWS.html

XIX CONGRESSO NACIONAL DE CRIMINALÍSTICA

O evento do ano

XIX CONGRESSO NACIONAL DE CRIMINALÍSTICA

11 a 17 de Novembro

Voltado a Peritos Criminais, estudantes universitários e Autoridades Policiais e Judiciárias, este ano será realizado em Salvador, Bahia.

O tema do XIX Congresso Nacional de Criminalística é “Perícia Criminal: garantia do indivíduo, direito à verdade”. Este tema visa precisar a importância da Perícia Criminal como uma garantia do indivíduo de ter-se respeitado o preceito constitucional do devido processo legal para o esclarecimento da verdade, portanto, um direito à verdade. Participe

quinta-feira, agosto 23, 2007

O software livre e oportunidades


Por: Adenilson Cavalcanti da SilvaE-mail: cavalcantii@gmail.com
Adenilson (a.k.a. Savago) desenvolve sistemas há 10 anos, utilizando diversas linguagens de programação e sistemas operacionais. Tendo se especializado em C++, está sempre a procura de novos desafios com características multidisciplinares. Mestre pela USP, possui interesse especial por visão artificial, *nix, programação baixo nível.


O software livre pode ser caracterizado pelo tipo de licença que governa sua distribuição e pelo modelo de desenvolvimento de software. No primeiro aspecto, ele é regulado por um tipo de licença (BSD, GPL, etc) que concede grandes liberdades ao usuário deste software. É possível utilizar o software sem pagar previamente uma licença e pode-se efetuar costumizações para atender necessidades específicas. A obrigatoriedade de compartilhar estas modificações é dependente da licença, embora seja um conceito universal a idéia de contribuir quando se tem grandes vantagens relacionadas à melhoria do produto original. No segundo aspecto, trata-se de uma alternativa de desenvolvimento de programas onde se atrai engenheiros e profissionais de informática para exame da qualidade do software e eventuais contribuições pelo livre acesso aos fontes (equivalente à planta estrutural de um programa). A prática da revisão entre os pares (peer-review) é típica da academia e tem bons resultados para validar trabalhos, sejam aplicados ou científicos.
Estudos promovidos por grandes empresas, como IBM, constatam a percepção por parte de administradores de sistemas e usuários de GNU/Linux que sistemas baseados em software livre são mais resilientes a vírus e invasões. Porém também há estudos indicando o contrário, devendo o mérito de cada um ser pertinente às condições específicas em que o responsável por uma organização decida desenvolver algum projeto de infraestrutura de TI (tecnologia de informação).
O software livre (assim como o fechado), está sujeito à licença de uso em que foi disponibilizado. Ambos têm aptidão comercial, embora o modelo de negócios seja diferenciado: o primeiro busca se financiar com serviços, doações e licenças enquanto o último é totalmente dependente de licenças.
A vantagem facilmente tangível do uso de software livre é a independência de fornecedor. Ao contratante, é possível mudar de empresa fornecedora de software e de serviços, toda a estrutura de software pode ser acessada por interessados em função do tipo de licença. Como exemplo, a empresa norte americana Red Hat possui 2 versões de seu sistema, uma paga e outra gratuita. O que motiva o pagamento da licença é o suporte oferecido pela empresa e homologação da plataforma para certos usos (como o software fechado Oracle).
Se a licença do software é fechada não se garante a independência de fornecedor, mesmo se for possível o acesso aos fontes do programa licenciado. Os custos de migração de plataforma tornam-se proibitivos, mesmo com a perspectiva de liberação de pagamentos anuais com licenças ou de upgrade forçado pelo fornecedor. De fato, o software livre não é gratuito, pois torná-se necessária a contratação de serviços para instalação, suporte e costumização. Entretanto, a priori, o modelo de software fechado não garante isenção dos custos supra citados, porém deve-se acrescentar os custos com licenciamento (estes sim sempre garantidos).
Justamente pelas vantagens econômicas oferecidas, os softwares livres vem crescendo rapidamente dentro das corporações. Isto ocorre apesar de menores recursos para veiculação de campanhas publicitárias ou de não possuir a vantagem de ser o sistema operacional dominante nos desktops, como caso de seu concorrente direto, o Windows.
O software livre garante a proteção dos direitos autorais dos seus criadores através da licença que governa sua distribuição. Assim como um contrato normal, a quebra das cláusulas da licença destitui o usuário da utilização do software, ficando o mesmo à mercê de processos movidos pelo detentor do 'copyright' do programa (de forma semelhante ao modelo de software fechado). Em última análise, o respeito aos direitos autorais é a base do crescimento do software livre, impedindo oportunistas de se apropriarem de produtos de software de criação alheia.
A idéia de política pública para obrigatoriedade de uso de software livre deve ser cuidadosamente examinada para promover o crescimento da indústria nacional de software. Por se tratar de um assunto polêmico, seria ingenuidade supor que todo o governo (poderes judiciário, executivo e legislativo) tivesse pleno concenso. As áreas em que o software livre mostra sua potência seriam equivalentes a “commodities da informática” (sistemas operacionais, servidores de internet, navegadores de internet, planilhas e editores de texto). No presente momento, o maior segmento de mercado nesta área é ocupado por um único fornecedor de origem internacional. As empresas nacionais em geral desenvolvem sistemas de cárater mais especializado, como automação, administração, contabilidade e suporte a bases de dados.
Estes softwares podem ser portados para funcionarem em uma plataforma livre, sem restrição à mudança da licença dos mesmos, se assim desejado pelos seus fabricantes. Finalmente, haveria a possibilidade de duplo licenciamento destes programas, havendo versões livres e fechadas de acordo com o interesse da parte contratante, desde que renumerados os custos de desenvolvimento das empresas envolvidas.
O próprio governo pode lançar mão de iniciativas como financiamentos subsidiados para empresas interessadas em trabalhar com um modelo de negócio baseado em software livre, viabilizando o desenvolvimento de novos programas e fortalecimento deste segmento de negócios. O Brasil tem as vantagens: empresários altamente dinâmicos, mão de obra qualificada e boa inserção no cenário internacional de software livre.
A prova desta inserção pode ser observada na lista de palestrantes da 6a. edição do FISL (Fórum Internacional de Software Livre) realizado em junho deste ano no Rio Grande do Sul. Este evento contou com uma extensa lista de palestrantes de países estrangeiros, líderes no desenvolvimento destas tecnologias. Neste aspecto, os profissionais brasileiros têm demonstrado grande receptividade, não havendo espaço para xenofobia ou “tacanhice”.
A competitividade da indústria e da esfera pública de qualquer país passa pela redução de custos e domínio de tecnologias relacionadas à informação em um mundo altamente conectado. O software livre é somente mais um dos caminhos para esta meta.

domingo, agosto 19, 2007

"Multicore" o pesadelo dos programadores.

"Não tão rápido, supercomputadores," afirmam programadores

Baseado em artigo de Steve Tally
Purdue University
30/07/2007
Não tão rápido  supercomputadores  afirmam programadores

Os supercomputadores aumentam de velocidade de forma estonteante e já possuem até ranking mundial. O mesmo parece estar acontecendo com os computadores menores, até mesmo com os domésticos, graças à utilização dos processadores de múltiplos núcleos e da ligação de PCs em clusters.

Programação paralela

Agora, um pesquisador da Universidade Purdue, Estados Unidos, afirma que de nada adianta esse poder computacional gigantesco, inimaginável há poucos anos, simplesmente porque o hardware se colocou muito à frente da capacidade dos programadores em fazer programas que os possam utilizar de forma eficiente.

Faisal Saied afirma que a programação paralela tem sido uma habilidade quase esotérica, limitada a pesquisadores que lidam diretamente com supercomputadores. "Especialistas em computação de alto desempenho aprenderam a lidar com isso, mas eles são uma fração dos programadores. No futuro você não vai conseguir comprar um computador que não seja 'multicore' e, à medida em que os chips 'multicore' se disseminarem, todos os programadores terão que aprender novas técnicas," diz ele.

O Dr. Saied parece até ser um pouco otimista. O fato é que há muitos supercomputadores na iniciativa privada e nenhuma empresa costuma jogar fora seus antigos programas. Apenas uma parte do código usado nessas empresas é paralelo, já que todos os programas antigos são seqüenciais.

O resultado é que os chips "multicore", embora sejam o sonho do poder ilimitado de processamento, estão se tornando o pesadelo da programação.

Computadores "multicore"

Computadores "multicore" - ou multinúcleo - têm mais do que uma CPU em cada chip. São verdadeiros PCs individuais, mas trabalhando juntos. O problema é explorar essa capacidade de trabalhar em conjunto, criando programas que dividam as tarefas entre os diversos núcleos.

"Imagine você ter quatro bolas de golfe e precisar atingir quatro buracos. Se você tem quatro pessoas atirando as bolas ao mesmo tempo, você poderá fazer isto mais rapidamente do que se contar com uma pessoa só. Esta é a vantagem da computação de múltiplos núcleos. Múltiplos PCs, todos no interior do mesmo chip, estão trabalhando em múltiplas tarefas. A dificuldade é quebrar a tarefa em múltiplos componentes," diz Saied.

Hiato da Lei de Moore

A criação de microprocessadores com múltiplos núcleos virou uma tendência quando a indústria percebeu que o aumento da freqüência de processamento - o "clock" - estava criando mais problemas do que resolvendo - principalmente problemas de superaquecimento dos chips.

O superaquecimento dos chips até criou o chamado "Hiato da Lei de Moore": embora a quantidade de transistores no interior dos chips continue crescendo como a Lei de Moore prevê - dobrando a cada 18 meses - o fato é que a velocidade de processamento não tem crescido nessa velocidade. Na verdade, em termos de chips individuais, de um núcleo apenas, ela tem se mantido estacionária há bastante tempo.

E, se não forem criados programas que utilizem os recursos da computação paralela, o desperdício de energia continuará. Isso acontece porque os transistores consomem energia mesmo quando não estão fazendo nada. Programas seqüenciais, rodando em processadores de múltiplos núcleos, nada mais estarão fazendo do que deixando transistores ociosos - desperdiçando energia e capacidade de processamento. Ou seja, a capacidade de processamento cresceu, mas não é utilizada.

Linguagens de programação paralela

E tudo indica que esse poder de processamento continuará crescendo. Os fabricantes de chips Intel, AMD, IBM e Sun todas anunciaram que vão produzir chips "multicore". Em Fevereiro deste ano a Intel anunciou detalhes de um chip com 80 núcleos - 80 PCs dentro de um único chip - capaz de fazer cálculos que há 10 anos atrás exigiam computadores que ocupavam salas inteiras.

Até mesmo as linguagens de programação estão sendo questionadas. Steve Kirsch, especialista em supercomputadores, afirma que novas linguagens são essenciais. "Hoje nós programamos em linguagens seqüenciais. Iremos precisar de expressar nossos algoritmos em um nível mais alto de abstração? Pesquisas nesta área são críticas para nosso sucesso," diz ele.






Fonte: http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=010150070705

sexta-feira, agosto 10, 2007

Novo computador da Apple é feito de vidro e alumínio

Novo iMac é mais leve, resistente e ultrafino, graças aos materiais aplicados na fabricação

Divulgação

Novo iMac é mais leve, resistente e ultrafino, graças aos materiais aplicados na fabricação

CUPERTINO, EUA - Em mais um dos anúncios repentinos do CEO Steve Jobs, a Apple apresentou ao mercado nesta terça-feira, 7, o novo iMac. Nada de transparências, mobilidade nem miniaturização. A aposta da empresa da Califórnia, nos Estados Unidos, desenvolvedora das "lendas" iPhone e iPod, é um computador de mesa feito com vidro e alumínio.

mais imagens Veja galeria de imagens do novo iMac

Veja também:

link Blogueiro que satirizava Steve Jobs é desmascarado

A Apple investiu em convergência de tecnologias. “Acreditamos que é uma ‘maravilha multifuncional’”, disse Jobs na apresentação. Segundo o CEO, o uso inesperado de vidro e alumínio no desktop se deu para criar leveza e resistência à maquina. Há também preocupação ambiental – ambos são materiais recicláveis.

São dois modelos, com telas de 20 e 24 polegadas. O menor terá duas configurações: processador 2.0 Core 2 Duo, 1GB de memória RAM, HD de 250GB SATA e placa de vídeo ATI Radeon 2400 XT. Preço: US$ 1.199.

O modelo mais avançado de 20 polegadas custará US$ 1.499, com processador de 2.4 GHz e HD de 320 GB. O computador de 24 polegadas entrará no mercado por US$ 1.799.

O teclado do novo iMac é o periférico que mais mudou em relação aos modelos anteriores. Está quase três vezes mais fino que o anterior e mais largo, ocupando mais espaço na mesa.

O novo iMac tem também três portas USB 2.0, FireWire 400 e 800, saídas de Ethernet e vídeo. O “SuperDrive” embutido foi mantido, assim como a webcam e o microfone.

Outras novidades

A Apple também mostrou a nova suíte de aplicativos iLife '08. De acordo com Jobs, o iPhone sofreu grandes mudanças. Foi inserido o conceito de "evento" no programa. Agora, além de álbuns, é possível organizar as fotos por evento.

O aplicativo de edição de vídeo iMovie foi completamente remodelado. Jobs conta que um dos engenheiros da empresa saiu de férias e gostaria de fazer um vídeo rápido, em 30 minutos. Tentou usar o iMovie e não conseguiu, tentou com o Final Cut Pro e não conseguiu. Então o engenheiro criou um novo aplicativo para fazê-lo. O novo iMovie é outro programa, com outro ícone, mas que manteve o nome.

Jobs diz que com o novo iMovie dá para criar filmes quase instantaneamente. "Selecione o vídeo da mesma forma que faria com texto. Faça um vídeo em segundos. Adicione efeitos, músicas, embeleze a imagem, insira fotos e legendas, use transições. Você pode compartilhar em quase todo lugar", disse o presidente da empresa. O programa está integrado e "conversa" com o iPod, iPhone, Apple TV e YouTube.

O novo iWeb permite com um arrastar inserir widgets da Web 2.0, como o Google Maps, Adsense e YouTube, em uma página. O iDVD '08 virá com mais temas e terá um processo de encoding profissional.

O pacote iLife '08 começará a ser vendido hoje por US$ 79 e acompanhará todos os Macs vendidos a partir desta data.



Fonte: http://www.estadao.com.br/tecnologia/not_tec30907,0.htm

Dell quer PCs que rodem Linux e Windows ao mesmo tempo

Montagem mistura símbolos do Windows e do Linux no mesmo monitor: é o que a Dell quer

AE

Montagem mistura símbolos do Windows e do Linux no mesmo monitor: é o que a Dell quer

BOSTON, EUA - A Dell está desenvolvendo computadores capazes de operar com versões múltiplas do Windows e do Linux ao mesmo tempo, disse o vice-presidente de tecnologia da fabricante de computadores, Kevin Kettler.

Os usuários dos novos computadores da Dell poderiam operar com os dois sistemas operacionais em uma mesma máquina, por meio de uma tecnologia cada vez mais popular conhecida como virtualização, que permite maior flexibilidade e segurança na computação.

Uma máquina virtual, que simula um PC normal, poderia operar com o Windows Vista e tratar de tarefas cotidianas de computação, enquanto outra poderia ser usada apenas para navegar na Internet, limitando quaisquer ameaças de segurança aos parâmetros da máquina virtual - que poderia ser apagada.

Uma terceira máquina virtual poderia operar com uma versão do Linux compatível com os programas no computador usado no trabalho do usuário. E uma quarta poderia operar com softwares para Windows XP que não sejam compatíveis com a máquina Windows Vista.

O novo modelo de computador pode ser colocado à venda já no ano que vem, disse Kettler em entrevista por telefone, durante a conferência LinuxWorld, em San Francisco.

Ele se recusou a informar se as máquinas poderiam operar também com o sistema operacional OS X, usado em computadores da Apple, cujas vendas vêm crescendo em ritmo superior ao do mercado de computadores em geral.

"Não posso especular a esse respeito", disse Kettler. "A virtualização é uma ferramenta muito poderosa. Trata-se de um ambiente que poderia permitir a coexistência de muitos sistemas operacionais diferentes. Você pode interpretar essa informação como preferir."

Os computadores Macintosh são capazes de usar software Windows por meio de programas de virtualização, como o Parallels, da SWsoft, e o Fusion, da VMware.

A Dell está desenvolvendo as máquinas com a ajuda de diversos parceiros, entre os quais a subsidiária VMware da EMC, que deve abrir seu capital em oferta pública na semana que vem, e da SWsoft, uma empresa de capital fechado, disse Kettner.



Fonte :http://www.estadao.com.br/tecnologia/not_tec31919,0.htm

Software Baiano permite que leigos desenvolvam sistemas

Programa feito na Bahia foi desenvolvido em cinco anos será lançado neste semestre no Brasil

Maior inovação do Maker é substituir linhas de programação por uma interface gráfica

Reprodução

Maior inovação do Maker é substituir linhas de programação por uma interface gráfica

SÃO PAULO - Um software desenvolvido no Brasil promete revolucionar a forma como se desenvolve sistemas e acabar com as confusas linguagens de programação. A solução proposta pelo Maker, da empresa baiana Softwell, é simples: a partir de uma interface gráfica, leigos poderão criar programas sem entender de Java, Delphi, SQL ou qualquer linguagem. É o equivalente a migrar do antigo DOS para a plataforma Windows.

video Clique para ver como funciona o software

O programa levou cinco anos para ser desenvolvido e envolveu o trabalho de 1,2 mil pessoas. Ainda não está definido o preço com que chegará ao mercado, ainda no segundo semestre. O lançamento nos Estados Unidos e Europa está previsto até o fim de 2007.

Segundo o presidente da Softwell e criador do Maker, Wellington Freire, o mérito do programa é integrar as linguagens de programação e, com isso, reduzir o tempo de produção e a quantidade de pessoas no desenvolvimento de sistemas. "Em testes internos, aumentamos a velocidade de produção em 60 vezes, o que, no fim das contas, significa redução de custos", afirma.

O Maker tem 180 ferramentas geradoras de código, mais que qualquer outro programa, de acordo com Freire. "Ele foi criado para qualquer um desenvolver sistemas complexos, integrados à Web."

A versão comercial do Maker a ser lançada é a 2.3. Atualizações beta do software são testadas desde 2003.



Fonte: http://www.estadao.com.br/tecnologia/not_tec32073,0.htm


Maiores Informações: http://www.softwell.com.br/ProdutoAction?cod=1

quarta-feira, agosto 08, 2007

Rutkowska consegue quebrar proteção do Vista, de novo

A polonesa Joanna Rutkowska voltou a utilizar o seu famoso Blue Pill para introduzir um código malicioso no Vista. Ela subiu no palco em Las Vegas e disse: “Vou falar sobre a proteção do kernel do Vista e porque ele não funciona”.

A palestra de Joanna Rutkowska na semana, no encontro Blackhat, voltou a surpreender por sua clareza e pelos detalhes. Ela começou lendo um documento do Microsoft Vista que dizia, inclusive, que os usuários com privilégios de administrador não podiam carregar um código no modo Kernel sem a permissão do sistema. Depois ela sorriu com ironia.

No ano passado, Rutkowska fez uso do seu famoso Blue Pill, um malware que se introduziu no sistema de virtualização do Vista e lhe concedeu privilégios de administrador.

Apesar das declarações da Microsoft afirmando que este problema foi solucionado antes que a versão final do Vista fosse encontrada no mercado, ainda existem muitas formas de atacar o Vista, e isso Rutkowska conseguiu provar com sobras.
Utilizando um driver da NVIDIA como proxy para escrever o código no Kernel, ela mostrou como um rootkit é capaz de enganar o sistema de segurança do kernel do Vista, que é o que supostamente evita a entrada do código não autorizado.

Este problema afeta não só o driver da NVIDIA, mas também o da ATI e quase todos os outros drivers de terceiros. Pior ainda: os drivers foram tão mal escritos e sua arquitetura tão mal desenhada que um usuário nem sequer precisa ter uma placa gráfica NVIDIA ou ATI instalada com o driver para se aproveitar desta falha. Basta apenas incluir o arquivo do driver junto com qualquer outro grupo de códigos, colocá-lo em algum lugar da unidade C: e utilizá-lo depois como um vetor de ataque.


Fonte: http://ig.forumpcs.com.br/noticia.php?b=216575

segunda-feira, julho 23, 2007

Colabore com o Projeto Slackware

Galera, vamos colaborar!!!

http://store.slackware.com/cgi-bin/store

Cronologia do Velho e Bom Slack

Slackware
Versão Data
  • 1.0.0 16 de julho de 1993
  • 1.0.1 4 de agosto de 1993
  • 1.0.2 5 de setembro de 1993
  • 1.0.3 15 de setembro de 1993
  • 1.0.4 1° de outubro de 1993
  • 1.1.0 5 de novembro de 1993
  • 1.1.2 15 de fevereiro de 1994
  • 2.0.0 2 de julho de 1994
  • 2.0.1 23 de setembro de 1994
  • 2.0.2 18 de outubro de 1994
  • 2.2.0 30 de março de 1995
  • 2.3.0 24 de maio de 1995
  • 3.0.0 30 de novembro de1995
  • 3.1.0 3 de junho de 1996
  • 3.2.0 17 de fevereiro de 1997
  • 3.3.0 11 de junho de 1997
  • 3.4.0 14 de outubro de 1997
  • 3.5.0 9 de junho de 1998
  • 3.6.0 28 de outubro de 1998
  • 3.9.0 10 de maio de 1999
  • 4.0.0 17 de maio de 1999
  • 7.0 25 de outubro de 1999
  • 7.1 22 de junho de 2000
  • 8.0 1° de julho de 2001
  • 8.1 18 de junho de 2002
  • 9.0 19 de março 2003
  • 9.1 26 de setembro de 2003
  • 10.0 23 de junho de 2004
  • 10.1 6 de fevereiro de 2005
  • 10.2 15 de setembro de 2005
  • 11.0 3 de outubro de 2006
  • 12.0 2 de Julho de 2007

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Slackware_Linux

sábado, abril 07, 2007

A nova Internet Brasileira

Pessoal, valeu a pena dar uma olhada no que tá rolando em Brasília...é não ter o que fazer mesmo...


http://d00dz.org/~gwm/internetbr.html

quarta-feira, fevereiro 07, 2007

Hackers iranianos vendem versão pirata de Vista

ahahahhahahahahahahahahahahaha.....Me desculpem, mas eu só posso rir diante de tal fato.
hahahahahahaahhaaha!!!!!
"Notícias de que hackers iranianos conseguiram crackear por completo a nova versão do sistema operacional Windows Vista, recém-lançado pela Microsoft, começaram a circular pela internet.

De acordo com o site de notícias Taliya News, do Irã, mesmo com todas as travas do programa, os hackers foram capazes de driblar o sistema anti-cópia.

Vendido por uma companhia iraniana por 80 mil rials, equivalente a US$ 8, o programa estaria vindo com um número serial privado que permite "ativar legalmente" o sistema instalado através do site da Microsoft, obtendo assim a vantagem completa dos serviços pós-venda oferecidos para clientes de versões originais.

O site afirma que ainda não recebeu resposta da Microsoft a respeito da reação à nova ação hacker sobre o Windows Vista. "

Fonte: www.geek.com.br

domingo, fevereiro 04, 2007

8th Fórum Internacional de Software Livre

Mais uma edição do FISL - Fórum Internacional de Software Livre. Este ano será o oitavo Fórum realizado na cidade de Porto Alegre que desde de sua primeira edição já despontava como um grande evento de repercursão mundial.




"Já estão abertas as inscrições para o 8º Fórum Internacional Software Livre – fisl8.0, que será realizado de 12 a 14 de abril de 2007, no Centro de Eventos FIERGS, em Porto Alegre, RS, Brasil. Até o dia 10 de fevereiro o valor da inscrição para pessoa física, é de R$ 53,00. De 11 de fevereiro até o dia 10 de março, R$ 63,00. E de 11 de março a 05 de abril, R$ 73,00.

Após 5 de abril, as inscrições só serão aceitas na Secretaria do fisl8.0, no Centro de Eventos FIERGS. Do dia 12 ao dia 14 de abril, o valor cobrado será de R$ 103,00. Estudantes de estabelecimentos cadastrados pelo MEC terão 50 % de desconto, mediante comprovante ou atestado de matrícula do primeiro semestre de 2007, e os membros de caravanas, mediante o código promocional emitido ao responsável pela caravana.
"

terça-feira, janeiro 23, 2007

O que é o LPI

"O Linux Professional Institute - LPI - é uma organização sem fins lucrativos, sediada no Canadá e constituída em 1999 pela comunidade Linux, e, desde então, desenvolve de forma acessível um programa de certificação em sistemas GNU/Linux reconhecido internacionalmente por empresas, empregadores e profissinais de TI.

A certificação LPI está entre as 10 mais procuradas do mundo por profissionais da área de Tecnologia da Informação, segundo o site Certcities.com, especializado no assunto.

Certificar-se é uma forma de atestar conhecimentos profissionais, ou seja, validar a eficiência de alguém em determinado assunto.

A principal vantagem da LPI sobre outras certificações Linux é a neutralidade de distribuição, pois as provas do LPI são baseadas no Linux Standard Base, um conjunto de normas que mantém a compatibilidade entre as diferentes versões e distribuições do sistema operacional. A certificação LPI é, portanto, independente da distribuição.

O LPI é reconhecido como a primeira organização do mundo a defender e ajudar o uso profissional do Linux, Open Source e Free Software. Os exames de certificação do LPI são aplicados em milhares de lugares no mundo, em vários idiomas e com o apoio de empresários, fabricantes e instrutores.

O programa de exames do LPI é aplicado mundialmente por intermédio da Pearson VUE e da Thomson Prometric em seus centros de certificação e está também disponível na forma de exames tradicionais, aplicados em papel.

Visite o site do LPI Mundial em: www.lpi.org"


Fonte:http://www.lpibrasil.com.br/empresa/o_que.php

Por que se certificar



"A certificação é algo muito comum entre os profissionais de informática. É uma das maneiras que os fabricantes de hardware e software encontraram para medir o quanto um profissional conhece de determinado assunto. A certificação profissional é muito usada pela área de recursos humanos das empresas na escolha de profissionais em processos seletivos.

Fazendo uma analogia, dizer que se é certificado em uma tecnologia é o equivalente a obter uma carteira de motorista: você tem o conhecimento aprovado e comprovado por uma instituição que atesta que você tem as aptidões necessárias para dirigir. A certificação profissional é uma forma rápida e de custo acessível para um profissional se formar ou mesmo se reciclar e valorizar o seu curriculum.

Ao certificar-se, o profissional tem condições de obter melhores salários e melhores oportunidades no mercado de trabalho.

Segundo pesquisa do Institute Data Corporation (IDC) Brasil, as certificações são responsáveis por um acréscimo de 53% nas chances de se conseguir um emprego.

De acordo com a revista Empreendedor, de abril de 2006, uma certificação pode garantir um salário até 100% superior ao da média do mercado. Leia a reportagem completa.

Por que ser um certificado LPI

Há falta de profissionais linux no mercado de trabalho, pois o Linux cresce em uma grande velocidade.

A certificação LPI está entre as 10 mais procuradas do mundo por profissionais da área de Tecnologia da Informação, segundo o site especializado no assunto www.certcities.com."

Fonte :http://www.lpibrasil.com.br/empresa/certificacao.php

LPI muda sua política de recertificação

"Ação visa assegurar que os conhecimentos em Linux mantenham-se atualizados

Tokyo, Japão: 1 de dezembro de 2006 - O Linux Professional Institute (http://www.lpi.org), o primeiro do mundo em certificação Linux, está mudando a Política de Recertificação da instituição para garantir que o conhecimento e as habilidades dos profissionais de Linux continuem relevantes e atualizados. Os candidatos que possuem as certificações LPIC terão que se recertificar a cada cinco anos ou, como alternativa, conquistar uma certificação maior. Anteriormente, a recertificação somente era obrigatória a cada dez anos.

Jim Lacey, presidente e CEO do LPI continua a aconselhar os profissionais de Linux a buscarem a recertificação a cada dois anos, devido às rápidas mudanças e às melhoras no sistema Linux, mas frisa que conversas com líderes da indústria indicaram que uma política de recertificação obrigatória a cada cinco anos é suficiente no momento: "Nós continuamos a melhorar os processos de desenvolvimento do nosso produto e programas por meio de um constante diálogo com líderes da indústria e profissionais de TI. Ao atualizarmos nossos exames com versões recentes do kernel do Linux, descobrimos ser necessário reexaminar nossa política de recertificação. É preciso lembrar que, porque somos neutros em relação à distribuição, não requisitamos que nossos candidatos se recertifiquem a cada nova versão de uma distribuição específica. No entanto, estamos interessados na tecnologia básica do sistema operacional Linux e em quais conhecimentos e habilidades um profissional de TI precisa ter para trabalhar com distribuições múltiplas em um ambiente empresarial. Nossa nova política de recertificação deve assegurar a relevância, a atualidade e o valor daqueles que possuem as certificações LPI".

A nova Política de Recertificação do LPI completa pode ser encontrada na página da instituição, em: http://www.lpi.org/en/lpi/english/certification/policies tem seus principais pontos transcritos abaixo:

Política de Recertificação

Uma vez certificado pelo LPI e tendo recebido uma certificação de nomeação (LPIC-1, LPIC-2, LPIC-3), é recomendado fazer a recertificação dois anos após a data de certificação de nomeação para manter-se em situação atualizada. No entanto, para MANTER uma situação de certificação ATIVA, o possuidor de certificação é OBRIGADO a se recertificar 5 anos após a certificação da nomeação.

A recertificação exige que o candidato passe em todos os exames atualizados necessários para a certificação mais alta que ele possuir. Após uma bem-sucedida recertificação, a situação de nomeação será atualizada para ATIVA por um período de CINCO anos.

Quando se consegue uma nomeação de nível superior, todas as outras de nível inferior são consideradas em situação ATIVA por CINCO anos após a data da certificação de nível superior. No entanto, os candidatos que não se recertificarem e deixarem a certificação prescrever serão obrigados a refazer a certificação atual e todas as certificações de nomeação de níveis inferiores e, subseqüentemente, procurar reativar a situação de sua certificação.

A inclusão da nomeação de situação ATIVA ou INATIVA na base de dados do LPI teve início em 1 de setembro de 2003. As certificações de nomeação (LPIC-1, LPIC-2, etc.) recebidas antes desta data (que eram consideradas lifetime) também serão sujeitas às estipulações da recertificação, como descrito acima. Portanto, todas as certificações de nomeação recebidas antes de 1 de setembro de 2003 não serão mais consideradas nomeações vitalícias e só serão consideradas ATIVAS por CINCO anos, a partir da data de certificação da nomeação. As certificações de nomeação recebidas antes de 1 de setembro de 2003 serão consideradas certificações ATIVAS até 1 de setembro de 2008. Todas as demais certificações serão consideradas ATIVAS por 5 anos a partir da data de sua obtenção."

Prática Certificada

Atestado de Qualidade

Irei começar uma série de artigos sobre certificação LPI e sua importância para o profissional de TI.



Fonte: Revista Empreendedor.
Boa notícia para o pessoal desenvolvedor em Assembler.
"O governo brasileiro espera capacitar até 15 mil profissionais voltados para indústria de semicondutores no prazo de até cinco anos, segundo o Secretário de Tecnologia Industrial, Jairo Klepacz. “Já estamos investindo em programas de capacitação nessa área. Criamos cinco Centros de Design de Circuitos no País. Porque para se fazer um chip é preciso montar sua arquitetura”.

Klepacz explica ainda que não se traz uma indústria de semicondutores como o setor automotivo. “Para estruturar uma indústria deste porte é preciso de capacitação e conhecimento traduzidos por universidades e centros de pesquisa”.

Segundo o secretário, o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), pacote de medidas anunciado nesta segunda-feira (22/01) pelo Governo Federal, tem como objetivo sinalizar que o Brasil está de novo no cenário mundial como candidato a abrigar uma indústria de semicondutores bem estruturada. “O PAC estabelece entre outras coisas um regime tributário agressivo que visa trazer investimentos dessa indústria portadora de inovação”, destaca Klepacz.

A partir do PAC, o governo instituiu o PADIS (Programa de Apoio ao Desenvolvimento da Indústria de Semicondutores). O Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, concorda que o PAC traz o Brasil novamente à rota mundial de investimentos das indústrias de semicondutores, que produzem chips para diversos segmentos de alta tecnologia. "Com o PAC, nosso País começa a fazer parte dessa rota e passa a ter capacidade competitiva", destacou.

As empresas que aderirem ao PADIS serão beneficiadas com a isenção de IRPJ e a redução a zero das alíquotas do IPI, PIS/Cofins e Cide incidentes sobre as vendas de semicondutores e displays. Haverá ainda desoneração sobre aquisição de bens de capital e remessas ao exterior a título de pagamento por uso de tecnologia e softwares .

Outro programa instituído pelo PAC foi o PATVD (Programa de Apoio ao Desenvolvimento da Indústria de Equipamentos para TV Digital ). Furlan disse que o programa tem o objetivo de fomentar a indústria de transmissão brasileira, para que ela comece a emitir o sinal digital. "A medida é para que haja uma penetração bastante rápida das radiodifusoras na alteração do sinal analógico para o digital", analisou o ministro. "
Fonte:http://wnews.uol.com.br/site/noticias/materia.php?id_secao=4&id_conteudo=7142

Ladrões roubam 14 GPSs nos EUA e são capturados pela polícia logo em seguida

Como existe gente tonta neste mundo!
"Após atacarem um estacionamento de Lindenhurst, cidade próxima à Nova Iorque, um trio de ladrões conseguiu "angariar" 14 aparelhos portáteis que eles julgavam serem telefones celulares . Mas o que eles nem desconfiavam é que se tratavam na verdade de equipamentos de posicionamento global, mais conhecidos como GPS. O resultado: a polícia não teve qualquer dificuldade em localizá-los e prendê-los - o que ocorreu na casa onde moravam.

De acordo com o site TG Daily, as autoridades foram até a casa de Kurt Husfeldt, de 46 anos, onde estava com seu filho de 13 anos, que também participou da ação criminosa. O outro comparsa chamava-se Steven Mangiapanella, um jovem de 20 anos. Todos foram presos sob a acusação de possessão de propriedade roubada.

Durante todo o ano passado, foram registrados muitos roubos de aparelhos de GPS naquele país, sendo que quase todos acabaram sendo encontrados. Nesse caso, como foram furtados uma boa quantidade de equipamentos e se encontravam todos em um só local, a polícia os rastreou com muito mais facilidade."


Fonte: Módulo Security News

Instituições brasileiras se unem para criar satélite espacial

Isto sim é uma iniciativa de ponta!
" A AEB (Agência Espacial Brasileira), o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e três universidades do Estado de São Paulo estão desenvolvendo um satélite universitário para a realização de experimentos com aplicação na área espacial.

A idealização do satélite Itasat, cujos estudos de viabilidade técnica estão próximos da conclusão, conta com a participação de alunos e professores do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica), nas áreas de engenharia e computação, da (Universidade de São Paulo), nas áreas de engenharia elétrica e telecomunicações, e da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), na área de computação .

De acordo com o coordenador-geral do projeto, Osamu Saotome, professor da Divisão de Engenharia Eletrônica do ITA, o Itasat será destinado à formação de mão-de-obra especializada. “Diferentes linhas de estudo poderão ser realizadas com base nas informações geradas pelo satélite. Apesar de as aplicações práticas dos dados ainda não estarem totalmente definidas, daremos prioridade aos experimentos com tecnologias do próprio satélite“, disse à Agência FAPESP.

Segundo Saotome, como o Itasat está sendo criado com forte componente de capacitação de recursos humanos, fomentar o interesse de estudantes universitários para as atividades aeroespaciais é o objetivo mais palpável do projeto. A construção do Itasat está prevista para meados de 2008 e o lançamento para o começo de 2010.

“Quando o satélite estiver em órbita, a intenção é permitir que os estudantes testem tecnologias que possam ser incorporadas em programas espaciais de cooperação internacional”, disse o professor do ITA. Os experimentos no satélite terão foco em especialidades como controle de atitude, computação, telecomunicações, mecanismos, controle térmico e geração e distribuição de potência.

“Mais de 15 docentes e cerca de 50 alunos de graduação e pós-graduação já estão envolvidos com as fases de pesquisa básica e aplicada do Itasat, com um volume considerável de artigos submetidos para publicação em revistas nacionais e internacionais”, disse.

Detalhes técnicos

Osamu Saotome explica que as características orbitais do Itasat serão semelhantes às dos satélites de coleta de dados SCD-1 e SCD-2, construídos pelo Inpe e lançados em 1993 e 1998, respectivamente. Os dois satélites em órbita coletam informações meteorológicas e as enviam para plataformas de coleta de dados espalhadas pela América do Sul.

A construção do Itasat, que pesará aproximadamente 70 quilos e terá uma vida útil de três anos, aproveitará ainda alguns componentes de subsistemas do FBM (French-Brazilian Microssatellite), projeto de um microssatélite científico que seria desenvolvido por instituições brasileiras e francesas, mas que foi cancelado em 2003 pela CNES (Agência Espacial Francesa).

De acordo com o convênio entre os dois países, equipamentos como magnetômetro, bobinas magnéticas, sensor solar e transponder, que já haviam sido adquiridos para o FBM, serão usados para a construção do Itasat.

Em 2002, estudantes de engenharia elétrica e de telecomunicações da Universidade Norte do Paraná (Unopar), em Londrina, construíram o Unosat (Undergraduate Orbital Student Satellite), satélite experimental que não pôde entrar em órbita, pois foi destruído na explosão do veículo lançador VLS-1 em agosto de 2003, no Centro de Lançamento de Alcântara, no Maranhão. "


Fonte:http://wnews.uol.com.br/site/noticias/materia.php?id_secao=4&id_conteudo=7144

Conheça os 10 vírus mais curiosos de 2006

Dá uma olhada nesta lista e divirtam-se!
"Boa parte das pragas chega ao PC da vítima via e-mail ou comunicadores instantâneos, infectando a máquina do usuário sem o seu conhecimento. Confira a seguir quais são elas e as características de suas “personalidades”:

- O mais moralista: o spyware Zcodec controla se o usuário acessa determinados sites que têm conteúdo pornográfico. Uma praga voyeur, talvez?

- O pior candidato: o worm Eliles.A envia currículos para todo lado - tanto por e-mail como pode mensagens para celulares;

- O mais boateiro: o campeão de 2006 é o Nuwar.A, que envia mensagens afirmando que a Terceira Guerra Mundial já começou. Será que ele está realmente errado?

- O mais repetitivo: o vírus Spamta envia múltiplas ondas de variantes que são praticamente iguais entre si;

- O mais espertinho: o spyware Popuper executa uma versão pirata de um conhecido antivírus . No entanto, o golpe simplesmente barra qualquer outro vírus que queira infectar o computador. Seria um vírus ciumento?

- O mais ansioso: não contente em roubar dados para realizar transferências bancárias, o vírus BarcPhish.HTML quer ainda outros dados como prazo de validade dos cartões, curriculum vitae, número de conta, senhas, senhas adicionais. Um vírus detalhista...

- O mais fofoqueiro: o WebMic.A é um código nocivo capaz de gravar sons e imagens usando o microfone e a câmera web que estejam conectados ao computador invadido;

- O mais brincalhão: o Nedro.B se “diverte” trocando ícones, impedindo o acesso a determinadas ferramentas, escondendo extensões de arquivos , além de eliminar opções do menu Iniciar, entre outras peripécias. Em vez de brincalhão, seria mais fácil chamá-lo de chato mesmo;

- O mais "casto": para atrair os incautos internautas, boa parte dos códigos usa temáticas sexuais ou pornográficas. No entanto, nenhum dos mais de 37 mil nomes diferentes do FormShared.A faz qualquer menção a sexo. Sem dúvida, um recorde de castidade;

- O mais "retrô": um vírus que se recusa a usar técnicas “modernas” de propagação como e-mail ou messengers. O DarkFloppy.A prefere o velho e bom disquete mesmo;

- O mais promíscuo: o vírus Gatt.A não escolhe vítimas. Ele trata de contaminar qualquer plataforma que vê pela frente, seja ela Windows, Linux, entre outras;

- O mais mentiroso: o SafetyBar chega na sua máquina como quem não quer nada e oferece à vítima dicas sobre segurança em informática, além de aplicativos spyware para download. O porém da coisa está no fato de que tais softwares alertam o internauta sobre ameaças que nem sequer existem"


Fonte: http://www.modulo.com.br/

Hackers conseguem transferir conteúdo do Blu-ray para um disco rígido

Esta notícia é fascinante.
"Dois hackers anunciaram uma nova façanha entre as mídias de alta definição . Eles conseguiram quebrar códigos do Blu-ray e transferiram seu conteúdo para um disco rígido . Os responsáveis pela façanha intitulam-se muslix64 e Janvitos, sendo que o primeiro conseguira há duas semanas, quebrar o código de segurança do HD-DVD, fazendo com que filmes neste formato já circulem pela Web, em redes Torrent.
A transferência de conteúdo para um HD não significa, no entanto, que a dupla tenha quebrado os códigos de segurança do Blu-ray para a realização de cópias do disco. Mas, por meio do método divulgado por eles, é possível assistir filmes neste formato sem a necessidade de um leitor físico de Blu-ray, utilizando apenas o disco rígido."

Fonte: http://wnews.uol.com.br/site/noticias/materia.php?id_secao=4&id_conteudo=7141
Rui Maciel - 22/01/2007

terça-feira, janeiro 02, 2007

Projeto regulamenta atividades na área de informática

Finalmente!!!
Começamos 2007 com o pé direito!
O processo de regulamentação da profissão de informática já está em fase conclusiva, espero que agora tenhamos um mercado de trabalho na área de TI voltado para a qualidade técnica dos serviços prestados e não mais tenhamos que dividir anos de dedicação e estudo com pseudos-profissionais de banca de revista e que estragam a imagem dos profissionais sérios e comprometidos com sua profissisão e com o respeito por seus clientes.

"Projeto regulamenta atividades na área de informática

A Câmara analisa o Projeto de Lei 7109/06, do deputado Bonifácio de Andrada (PMDB-MG), que regulamenta as atividades profissionais relacionadas a informática, computação e sistemas de informação.
Segundo a proposta, poderão exercer essas atividades os portadores de diploma universitário dos cursos de informática ou computação, processamento de dados, sistemas de informação e áreas correlatas reconhecidas pela legislação do ensino. Quem estudou no exterior deverá validar o diploma no Brasil.
Os tecnólogos e os formados em cursos seqüenciais e técnicos da área de informática e computação também poderão exercer a profissão, desde que observem as leis vigentes.
Os profissionais que não tiverem formação superior ou técnica, mas que comprovarem por meio de documentos que trabalham na área há pelos cinco anos, poderão continuar trabalhando. No entanto, eles terão que regularizar a sua situação profissional no Ministério do Trabalho.

Conselhos
Caso o PL seja aprovado, o Executivo deverá enviar ao Congresso Nacional, no prazo de 60 dias, um projeto de lei criando o Conselho Federal de Informação e Computação e os conselhos regionais, estabelecendo as definições legais para a atividade profissional e sindical dessas áreas de trabalho.
Enquanto esses conselhos não forem implantados, o projeto estabelece que os profissionais com formação superior deverão registrar o diploma no Ministério do Trabalho.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Educação e Cultura; de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:
- PL-7109/2006

Da Redação/ND

(Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara')

Agência Câmara
Tel. (61) 3216.1851/3216.1852
Fax. (61) 3216.1856
E-mail:agencia@camara.gov.br "

Projeto regulamenta atividades na área de informática

Finalmente!!!
Começamos 2007 com o pé direito!
O processo de regulamentação da profissão de informática já está em fase conclusiva, espero que agora tenhamos um mercado de trabalho na área de TI voltado para a qualidade técnica dos serviços prestados e não mais tenhamos que dividir anos de dedicação e estudo com pseudos-profissionais de banca de revista e que estragam a imagem dos profissionais sérios e comprometidos com sua profissisão e com o respeito por seus clientes.

"Projeto regulamenta atividades na área de informática

A Câmara analisa o Projeto de Lei 7109/06, do deputado Bonifácio de Andrada (PMDB-MG), que regulamenta as atividades profissionais relacionadas a informática, computação e sistemas de informação.
Segundo a proposta, poderão exercer essas atividades os portadores de diploma universitário dos cursos de informática ou computação, processamento de dados, sistemas de informação e áreas correlatas reconhecidas pela legislação do ensino. Quem estudou no exterior deverá validar o diploma no Brasil.
Os tecnólogos e os formados em cursos seqüenciais e técnicos da área de informática e computação também poderão exercer a profissão, desde que observem as leis vigentes.
Os profissionais que não tiverem formação superior ou técnica, mas que comprovarem por meio de documentos que trabalham na área há pelos cinco anos, poderão continuar trabalhando. No entanto, eles terão que regularizar a sua situação profissional no Ministério do Trabalho.

Conselhos
Caso o PL seja aprovado, o Executivo deverá enviar ao Congresso Nacional, no prazo de 60 dias, um projeto de lei criando o Conselho Federal de Informação e Computação e os conselhos regionais, estabelecendo as definições legais para a atividade profissional e sindical dessas áreas de trabalho.
Enquanto esses conselhos não forem implantados, o projeto estabelece que os profissionais com formação superior deverão registrar o diploma no Ministério do Trabalho.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Educação e Cultura; de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:
- PL-7109/2006

Da Redação/ND

(Reprodução autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara')

Agência Câmara
Tel. (61) 3216.1851/3216.1852
Fax. (61) 3216.1856
E-mail:agencia@camara.gov.br "