sexta-feira, outubro 24, 2008

Código de núcleo do Linux ultrapassa 10 milhões de linhas

Uma análise apontou que após o lançamento da versão 2.6.27 do kernel do sistema operacional livre Linux, o código fonte ultrapassa a marca de 10 milhões de linhas.
Segundo o site heise, a adaptação do núcleo envolve descartar código antigo e adicionar novos recursos - ou seja, mais código. Como a quantidade de coisas adicionada é maior do que a removida, o crescimento é contínuo.
A contagem, entretanto, inclui linhas em branco e comentários, mas se descartadas as linhas vazias, são mais de nove milhões, noticiou o site The Inquirer, defendendo a contagem com as linhas em branco já que estas são ideais para a compreensão do código.
O software SLOCCount, que contabiliza as linhas de código existentes em um programa, aponta que o do kernel do Linux possui 6.399.191 linhas, descontando os espaçamentos e comentários necessários para o entendimento do código, sendo destas 51,6% dedicadas aos drivers e 19,7% à arquitetura do sistema.
As outras linhas se referem ao sistema de arquivos (8,5%), rede (5,9%), som (5,6%), referências a bibliotecas de funções (5,0%), controle central de processos (1,2%), gerenciamento de memória (0,6%), criptografia (0,5%), segurança (0,4%) e outros (1,1%).
A análise ainda aponta que a maior parte do código do núcleo do Linux foi desenvolvido em ANSI C (96,39%), com uma parte menor (3,32%) tendo sido escrita em Assembly, e um número bastante reduzido em linguagens como Perl, C++, Yacc, Unix Shell, Lex, Python, LISP, Pascal e Awk.
O SLOCCount também avalia o esforço que seria necessário para desenvolver novamente o kernel do Linux a partir do zero. Seriam necessários 200 desenvolvedores por nove anos e meio e um custo médio de aproximadamente US$ 268 milhões em salários.
Esse custo é apenas do núcleo do sistema operacional. Uma distribuição completa, contendo não só o núcleo como também as interfaces com o usuário e programas como jogos e aplicativos de escritório custaria quse US$ 11 bilhões, segundo um estudo publicado pela organização Linux Foundation, que administra o uso da marca e o desenvolvimento do sistema operacional. O estudo pode ser lido pelo atalho tinyurl.com/5ajesy
Por ter seu código aberto, o Linux recebeu contribuição voluntária e na maioria das vezes gratuita de milhares de programadores independentes por um período superior a 15 anos.

2 comentários:

elisabeth disse...

OI !!! Novo amigo,
Gostaria de fazer parte do seu blog! Me chamo Elisabeth L. Slobins, Moro na Republica Theca(Praga), com meu marido, que e americano. Gostaria de mudar para o Brasil. Mas precisaria de um ccontato profissional para o meu marido. Ele e analista de sistema, a mais de 30 anos! Sou so Rio de Janeiro.
Localizei este seu blog atraves de sua comunidade.
Sera possivel voce, entrar em contato comigo. Busco ajuda, neste sentido, Para eventual mudanca, de vida!
Feliz Ano Novo! Com Muita paz!! Abracos fraternais!
Elisabeth

Matuzalém Guimarães disse...

Olá Elisabeth,
Obrigado pelo contato.
Ficarei feliz se eu puder ajudar em algo.
este é o meu e-mail: matuguimaraes@hotmail.com.
Podemos nos falar através dele.
Fico no aguardo.
Abraço!